post

O que fazer quando a criança começa a “enrolar” para ir a compromissos de rotina?

O que fazer quando a criança começa a “enrolar” para ir a compromissos de rotina?

Você faz negociações com seu filho? Conheça a história do pai que, para conseguir levar o filho à escola, cedeu aos apelos do menino e foi trabalhar com Tasha e Pablo, personagens dos Backyardigans

Era uma manhã como outra qualquer na casa de Sergio Roxo, jornalista e pai de Francisco, 3 anos. Por volta das 7h30, o despertador tocou e a família começou a se preparar para as tarefas do dia – exceto o garoto, que não queria sair da cama de jeito nenhum. Após algumas tentativas e estratégias para fazê-lo acordar (os pais tentaram chamar, acender a luz, abrir a janela…), Sérgio finalmente conseguiu fazer com que Francisco ficasse em pé, mas aí começaram outras batalhas, já que o menino não queria nem saber de escovar os dentes, trocar de roupa ou tomar café da manhã.

“Tenho notado que de uns meses para cá, Francisco usa desculpas e jogadas para desviar a nossa atenção do que estamos pedindo que ele faça. Neste dia, ele enrolou tanto, que não pensei duas vezes em ceder aos seus apelos para levar os bonecos da Tasha e o Pablo para a escola. Se era aquilo que precisava para ele ir logo para a escola, então lá íamos nós”, conta o pai, Sergio Roxo. O problema é que os brinquedos, réplicas dos personagens do desenho animado Backyardigans, eram grandes e, como Sergio havia previsto, ao chegar na porta da sala, o garoto, morrendo de vergonha, pediu que o pai guardasse-os na bolsa. Resultado? Além de levar uma “chamada” da professora por conta do atraso, Sergio teve companhia para o trabalho. “Eu já sabia que aquele volume na minha bolsa não passaria batido entre os colegas de trabalho, então, entrei na brincadeira e coloquei Tasha e Pablo na minha mesa para trabalharem comigo”, brinca.

Fonte: Crescer

Sem comentários

Deixe uma resposta