post

‘Extraordinário’ oferece esperança para famílias de todo o país

‘Extraordinário’ oferece esperança para famílias de todo o país

Criança feliz e saudável é aquela que transborda energia e deixa qualquer família impaciente com tanto agito, não é? No dia a dia, é comum generalizarmos experiências que afetam nossa percepção sobre a singularidade de cada um.
Padrões pré-estabelecidos acabam orientando a dinâmica de muitas famílias, e, consequentemente, ecoam pela sociedade. O questionamento sobre quem somos e o que aparentamos ser, nunca foi tão necessário como nos dias de hoje. Para endossar essa reflexão, ‘Extraordinário’ chega aos cinemas de todo o Brasil nesta quinta-feira (7/12), e narra a rotina do garotinho Auggie Pullman (Jacob Tremblay) e sua família.
Nas telonas, a atriz Julia Roberts dá vida à Isabel, a mãe que abdicou de seus sonhos, para se dedicar à família e, sobretudo, ao filho que nasceu com uma síndrome genética cuja sequela é uma severa deformidade facial. Ao lado de Natan, o marido interpretado por Owen Wilson, Isabel é responsável pela educação do menino e todos os cuidados com sua saúde.
Ao longo dos seus poucos anos de vida, nenhuma cirurgia e nenhum tratamento médico foram tão desafiadores para Auggie quanto o seu ingresso na 5ª série de uma escola regular. Habituado à rotina doméstica e o convívio com seus pais e sua irmã Via (Izabela Vidovic), Auggie é convidado a deixar sua zona de conforto, para desbravar uma nova rotina, com novas crianças e novos adultos, numa escola de verdade.
Enquanto os pais o incentivam nesta nova etapa, com a expectativa oculta de que o filho não sofra bullying no ambiente escolar, outras questões vêm à tona e impactam não somente a família, mas toda comunidade a sua volta. Como um menino tão diferente fisicamente pode realizar grandes feitos? Como promover a integração se ele não é como a maioria? O que ganhamos com isso? Auggie saiu do ambiente seguro e sua vida não é a extensão de sua casa.
Baseado no best-seller da autora R.J Palacio, e ocupando as primeiras posições dos mais vendidos do país na categoria infantojuvenil, a ficção oferece esperança às famílias que lidam com situações semelhantes e promove uma reflexão nos espectadores, que acompanham julgamentos e equívocos entre crianças e adultos.
Enxergar o próximo além de sua aparência e compreender as demonstrações de isolamento e agressividade que jovens e crianças podem desenvolver estão entre as mensagens do filme, que merece ser discutido no jantar ou na rodinha de amigos, no bar.

Fonte: Crescer

Sem comentários

Deixe uma resposta