post

A melhor hora para colocar seu filho na cama

A melhor hora para colocar seu filho na cama

É difícil encontrar alguém que não goste de dormir. Fechar os olhos após um dia cheio de atividades é relaxante e traz uma deliciosa calmaria. Para as crianças, esse momento é ainda mais importante, já que ciência constantemente se debruça sobre o assunto e revela como o sono é fundamental para o desenvolvimento de diversas funções cerebrais. Também é durante a noite que ocorre a maior parte da liberação dos hormônios do crescimento.
No entanto, mesmo sabendo que o descanso noturno é importantíssimo, ainda há algumas divergências entre os pais quando o assunto é o melhor horário para colocar os pequenos para dormir. Segundo uma enquete feita com os leitores da CRESCER na página do Facebook, a maioria dos pais (36%) leva as crianças para a cama entre 21h e 22h. Logo atrás, com 30% dos votos, estão os que colocam os filhos para dormir entre 20h e 21h; mas há também aqueles que levam apenas depois das 22h (26% dos votos). Apenas na minoria das famílias (8%) as crianças se deitam antes das 20h.

Os resultados parecem condizentes com os hábitos de sono dos brasileiros.“Pelo que podemos ver nessa enquete, grande parte dos pais (36%) está dentro do que se vê no padrão da população”, analisa a pediatra especialista em Medicina do Sono Lucila Bizari Fernandes do Prado, presidente do Departamento Científico de Medicina do Sono da Sociedade Brasileira de Pediatria.
Mas se o seu pequeno vai para a cama antes ou depois do horário mais votado, não se desespere. Esse não é único fator que mede se a criança está dormindo bem. Segundo a neurologista Letícia Soster, coordenadora do Laboratório do Sono do Instituto da Criança do Hospital das Clínicas (SP), a qualidade e quantidade de sono depende também do horário que a criança desperta, da faixa etária dela e se ela tira cochilos ao longo do dia. “Quanto mais nova a criança, mais horas de sono são necessárias. Mas é claro que se ela tirar sonecas durante o dia, não irá sentir sono tão cedo durante a noite e vai acabar indo dormir um pouco mais tarde”, explica a especialista.

Tenho que dormir agora mesmo?
Segundo as especialistas Lucila e Letícia, a decisão do horário de levar a criança para a cama deve ser feita considerando a hora que ela irá despertar na manhã seguinte e quanto tempo de sono terá somado ao longo do dia. A necessidade total diária varia conforme a faixa etária. A seguir, confira as recomendações de tempo de sono da organização americana National Sleep Foundation, para um período de 24 horas:

  • 0 a 3 meses: 11 a 19 horas
  • 4 a 11 meses: 10 a 18 horas
  • 1 a 2 anos: 9 a 16 horas
  • 3 a 5 anos: 8 a 14 horas
  • 6 a 13 anos: 7 a 12 horas

Cada casa, um caso
Assim como os adultos, as crianças de hoje dormem muito mais tarde do que as de antigamente. Com o advento da luz elétrica, deixamos de depender estritamente da luz solar para fazer as atividades diárias. Além disso, também surgiram os fatores externos – como televisão, computador e celular –, que bagunçaram ainda mais o tradicional horário. Mas vale lembrar que o corpo humano continua funcionando da mesma maneira, mesmo com todas essas mudanças tecnológicas. A melatonina (um hormônio produzido pelo cérebro) é liberada no organismo toda noite, quando o ambiente começa a escurecer. É ela que sinaliza ao corpo que está chegando a hora de dormir. Por esse motivo, manter o ambiente da casa à meia luz (e evitar os eletrônicos) é tão importante para o seu filho se acalmar e entender que está chegando a hora de adormecer.

Outro fator a ser levado em consideração no momento de se escolher a hora de levar a criança para dormir é a dinâmica familiar. Atualmente, é comum que os pequenos passem as manhãs e tardes na escola ou com um cuidador, portanto, longe dos pais. Por isso, em boa parte dos casos, a criança tende a se privar do sono parar esperar pela chegada da família.

“As crianças hoje dormem mais tarde? Sim. Mas temos que considerar outros fatores. Se for dormir muito cedo, ela, possivelmente, não terá convívio com os pais. Por isso, a hora de ir para cama é relativa. Elas estão indo deitar mais tarde, mas será que há prejuízo? Isso depende da dinâmica de cada família”, considera a neurologista Letícia.

Como a rotina de trabalho dos pais também interfere no sono da criança, não fique tão preso aos horários que amigos e familiares dizem que é o melhor. Leve em consideração o período em que ambos os pais chegam do trabalho para decidir o momento de colocar o pequeno para dormir. “Muitos pais escutam que devem colocar os filhos para dormir em determinado horário e fazem uma luta em casa para conseguir isso. Mas, às vezes, a criança só quer brincar meia hora com o pai e a mãe”, comenta a médica. Se a criança está tranquila e relaxada, vale a pena que ela fique alguns minutos interagindo com a família. Já se ela está irritada e cansada, o ideal é leva-la para dormir.

Fechando os olhos
Agora que você já conhece os fatores que devem ser levados em conta no momento de dar boa noite ao seu filho, aprenda alguns passos para fazê-lo adormecer sem dificuldades:

  • Crie uma rotina do sono e repita todos os dias, como se fosse um ritual.

  • Não alimente a criança minutos antes de dormir.

  • Apague as luzes e desligue os aparelhos eletrônicos.

  • Invista em um banho quente, uma massagem, leituras e brincadeiras relaxantes com a criança. O ideal é que elas aconteçam sempre na mesma sequência todos os dias para que a criança assimile que cada etapa faz parte de um processo e o sono possa chegar.

Só mais alguns minutinhos…
Se os sinais de irritabilidade, ansiedade e cansaço são recorrentes na criança, ela pode estar sofrendo de privação de sono. Isso tende a afetar o desenvolvimento infantil de diversas formas, como, por exemplo, trazer problemas de aprendizagem, de memória e dificuldades de atenção e concentração. Em casos mais extremos, pode até ocasionar o ganho de peso. Se a criança estiver passando por essa situação, estipule mais tempo de sono para ela. “Uma variação de uma hora ou até de meia hora faz diferença”, sintetiza Lucila.

Sem comentários

Deixe uma resposta