post

Por que as crianças estão ajudando menos nas tarefas domésticas?

Por que as crianças estão ajudando menos nas tarefas domésticas?

Exagero de atividades extracurriculares, a falta de paciência dos pais para ensinar e a desvalorização do trabalho doméstico são parte da resposta
Pesquisas recentes no Reino Unido e nos Estados Unidos indicam que as crianças estão tão sobrecarregadas com atividades extracurriculares, que têm recebido passe livre das tarefas domésticas. E se engana quem pensa que essa é a exceção à regra: verificou-se que, atualmente, 3 em cada 4 crianças não têm qualquer responsabilidade em casa!

No Reino Unido, a Mintel, agência de pesquisa de mercado, conversou com 2 mil pais e descobriu que 76% das crianças e adolescentes britânicos, entre 6 e 17 anos, não ajudavam nas tarefas domésticas. Nos Estados Unidos, a porcentagem calculada pela Whirpool, através de uma amostra de mil pais, foi similar, de 72%.
Para a especialista em desenvolvimento infantil norte-americana, Deborah Gilboa, isso seria reflexo de uma tendência dos pais a valorizar mais as realizações dos filhos do que a formação de caráter. Por isso, estimulariam as atividades que ao seu ver realmente contam para o futuro profissional. Vera Zimmermann, psicóloga do Centro de Referência da Infância e Adolescência (CRIA) da Unifesp, acredita que esse comportamento está ainda mais enraizado no Brasil.

“O brasileiro de classe média tem uma noção deturpada de trabalho. Nosso país foi construído sob uma cultura do colonialismo, que coloca o trabalho braçal como inferior, e associa erroneamente trabalho a profissão. Como o trabalho doméstico não tem o devido valor no espaço familiar, acredita-se que a criança está deixando de aprender algo lá fora enquanto ajuda em casa, mas não é bem assim”, afirma Vera.

A psicóloga ressalta que as tarefas domésticas têm papel fundamental no desenvolvimento da criança e do adolescente, tanto pelos exercícios motores e perceptivos, como emocionais, no sentido de se sentirem úteis e valorizados no ambiente familiar. Ajudar em casa estimularia a autoestima, a independência e a formação de um cidadão capaz de se situar em uma rede onde as pessoas fazem coisas umas pelas outras. Além disso, criaria uma identificação com os pais, conforme os filhos aprendem com eles.

“Infelizmente, os pais estão muitos ocupados e é muito difícil terem a paciência de ensinar. Puxar uma cadeira para mostrar ao filho como lavar ou secar a louça dá trabalho e é mais fácil fazer de uma vez. Se esquecem que isso constituí um desenvolvimento para a criança. É claro que devemos considerar a faixa etária, mas mesmo que a criança não saiba fazer direito, é extremamente importante que ela tenha a chance de fazer do jeito dela”, destaca Vera.
Fonte: Crescer

Sem comentários

Deixe uma resposta