post

Meu filho não quer fazer a lição de casa. E agora?

Meu filho não quer fazer a lição de casa. E agora?

Por mais que as crianças relutem em fazer as atividades, os pais não devem assumir a responsabilidade

A gerente financeira Rosário Cardoso, 44 anos, cansou de brigar com o filho Henrique, 7, para fazer a tarefa da escola. “Tem dias que explico, falo, repito e parece que ele faz de qualquer jeito de propósito. Outro dia, ele já tinha apagado as tarefas várias vezes. Quando eu estava começando a surtar, desisti e deixei que fizesse como queria”, conta. Ao final da atividade, Henrique pediu a opinião da mãe. “Perguntei se ele tinha feito o melhor que conseguia; ele me respondeu que não, mas que eu é que tinha de mandá-lo arrumar a lição”, completa. “Expliquei que eu havia tentado ajudar, só que essa não era a melhor forma de ele chamar minha atenção”, lembra.

Rosário fez certo em não fazer a lição pelo filho, porém a reação de Henrique mostra que a criança, muitas vezes, encara a lição de casa como obrigação dos pais. O ideal é incentivá-la a assumir como se fosse um compromisso só dela. Para isso, ajude seu filho a decidir o melhor horário do dia que ele julga ser bom para fazer as atividades e estabeleça isso como parte da rotina diária. Você pode ajudar, claro, desde que ele entenda que a responsabilidade é dele em primeiro lugar.

Como criar uma rotina de estudos

Estudar em casa é fundamental tanto para fixar o conteúdo escolar quanto para criar o hábito. Veja qual é o papel dos pais nesse processo:

O que ajuda
– Escolher um local iluminado e arejado, sem interferências sonoras como TV, computador ou mesmo uma janela movimentada.

  • Garantir acesso fácil aos materiais que serão usados para realizar os trabalhos. Se possível, deixe-os no mesmo lugar e ao alcance da criança.

  • Evitar correções. Em vez de apontar o erro, faça seu filho refletir sobre a atividade com perguntas como “Você pesquisou no seu material?” ou “Acha que essa resposta está correta?”.

O que atrapalha
– Fazer a lição cada dia em um horário diferente, pois isso interfere na criação do hábito de estudar.

  • Conduzir o exercício no lugar dele. Você pode ajudar a ler e compreender enunciados, mas nada de dar a resposta, ok?

  • Cobrar demais. É preciso conter a ansiedade e permitir que a criança faça as coisas no tempo dela. Errar faz parte!

Fonte: Crescer

Sem comentários

Deixe uma resposta