post

Entenda porque você não deve sempre responder pelo seu filho

Entenda porque você não deve sempre responder pelo seu filho

“Na faculdade de medicina, eu achava que era educado pedir para uma criança levantar em um exame – mas fiquei realmente surpresa quando a maioria não me obedeceu.’ Lembrou a pediatra Wendy L. Hunter, M.D. Diferente dos adultos, as crianças não entendem que um pedido educado quer dizer, na verdade, ‘Faça’! “Hoje em dia, eu faço pedidos mais animados – “Suba na mesa”, “Abra sua boca”, “Vire de costas para mim” – e meus pacientes geralmente ficam felizes em fazer o que eu peço.”

A ciência justifica: um estudo com crianças de 3 a 7 ano mostrou que perguntas educadas como “Você pode colocar seu tênis” não tiveram o mesmo resultado que pedidos objetivos como “Coloque seu tênis”. Além disso, os estudos mostraram que crianças não entendem sarcasmo ou ironia até completarem 10 anos, então não adianta usar esses métodos para obter um bom comportamento dos seus filhos.

A linguagem também é um fator importante na hora de se comunicar com seu filho. “Quando eu digo que vou usar o otoscópio, algumas crianças ficam assustadas quando eu coloco em suas orelhas. Mas, seu eu digo que vou usar o ‘aparelho de olhar orelhas’ automaticamente eles colocam a cabeça de lado para me ajudar.” Explicou dra. Wendy. Uma forma de mudar isso é notar as palavras que seu filho usa quando ele pede algo para uma amigo. Comece a usar as palavras dele na hora de pedir que limpe o quarto ou que coloque o casaco.
“Falar com frases simples ou dizer a mesma coisa de duas maneiras diferentes fará com que seu filho te entenda de um jeito melhor e até poderá aprender uma nova palavra” explicou a pediatra.

Dar opções de escolha ao seu filho pode ser uma estratégia chave na hora de se fazer entender. Kathleen Romero. M.D. é pediatra no Hospital Sinai, em Baltimore e ela deixa seus pacientes decidirem qual orelha eles querem que seja examinada primeiro. Isso pode se aplicar facilmente à sua rotina. “Eu pergunto: ‘você quer ir andando até o carro ou quer que eu te carregue?’ Dar escolhas é uma ótima opção, desde que as duas alternativas levem ao que você quer que seu filho faça” completou a pediatra Wendy. E se ele se recusar a escolher, é sua chance de dizer, “Então o papai e a mamãe vão escolher para você.”

Se você está em uma situação em que não pode dar uma escolha, explique os motivos de estar pedindo algo diretamente. “Por exemplo, se sua filha não entende por que ela não pode tocar no fogão, dizer ‘Não toque! Cuidado!’ é melhor do que dizer ‘Não’. O raciocínio dos pais é mais importante para as crianças mais velhas ouvirem, porque elas podem realmente ser influenciadas pela lógica.” Explicou a Wendy Hunter.

“Minhas pacientes e meu próprio filho tem mais probabilidade de passar protetor solar se eu explicar que temos que bloquear os raios ultravioletas do sol que causam câncer. Encoraje seus filhos a compartilharem seus próprios raciocínios! A pediatra explica a importância de estimular suas filhos a negociar, uma importante necessidade social. Se seu filho quiser faltar em um compromisso de noite, não diga ”não” logo de cara. Deixe que ele use seus próprios argumentos para provar que está certo, como querer passar mais tempo com a família ou prometer ir na próxima semana. “Só não permita se ele implorar ou se jogar no chão fazendo uma ‘cena’ para conseguir o que quer – pois essa não é uma estratégia de negociação que você queira incentivar.” Finalizou a pediatra.
Fonte: https://paisefilhos.uol.com.br/crianca/entenda-porque-voce-nao-deve-sempre-responder-pelo-seu-filho/

Sem comentários

Deixe uma resposta