post

Como a lateralidade se desenvolve nas crianças?

Como a lateralidade se desenvolve nas crianças?

O processo de lateralidade nas crianças consiste no fato de que uma das duas metades do cérebro se torna dominante e assume o controle das habilidades. Vamos te contar tudo o que você precisa saber sobre isso no artigo a seguir.
A lateralidade é o predomínio funcional de um dos lados do corpo humano sobre o outro, determinado pela dominância de um dos hemisférios cerebrais. Esse conceito se refere à capacidade do cérebro de controlar ambos os lados do corpo. A lateralidade nas crianças é consolidada aos 4 ou 5 anos de idade.
Para atingir uma organização neurológica completa, uma criança deve ter um domínio hemisférico em todas as áreas funcionais. Isso significa que a criança não só deve usar a mesma mão de forma consistente, mas também que isso deve coincidir com os olhos, as orelhas e as pernas.

Cada hemisfério do cérebro controla diferentes tarefas e funções. As crianças desenvolvem habilidades manuais através de brincadeiras e outras atividades enquanto descobrem o que podem fazer com as mãos.

Assim, as crianças começam a mostrar a lateralidade das suas mãos em tarefas funcionais. A razão é que um lado do cérebro ganha domínio e permite que a criança prefira o uso de uma mão em vez da outra.

No entanto, qualquer problema de lateralidade pode causar dificuldades de aprendizagem em algumas áreas. Esses problemas podem afetar a leitura, a competência auditiva, a mobilidade, a linguagem e a habilidade manual, especialmente a escrita.

Como a lateralidade se desenvolve nas crianças?
A lateralidade é consolidada na idade escolar. Entre os 2 e os 5 anos de idade, as crianças usam as mãos para brincar e fazer muitas outras coisas. Por consequência, uma vez que atingem a idade escolar, elas já deveriam ter a sua lateralidade definida.

O fato é que os hemisférios – esquerdo e direito – do cérebro controlam a ação motora nos lados opostos do corpo. No entanto, essas metades não são iguais no controle dos diferentes tipos de comportamento; isso resulta em uma tendência de usar uma mão em vez da outra para determinadas tarefas.
Esse domínio de um hemisfério sobre o outro para certos comportamentos é chamado de lateralidade cerebral. Existem razões claras para a evolução dessa característica.

Em primeiro lugar, ter um hemisfério que assuma o controle de um processo reduz a possibilidade de que ambos os hemisférios passem a competir para controlar uma resposta. Isso também permite que diferentes processos, como a linguagem e a atenção, por exemplo, possam operar ao mesmo tempo através dos dois hemisférios.

À medida que começam a desenvolver as suas habilidades motoras, as crianças podem usar as mãos esquerda e direita igualmente para ações simples; tais como alcançar objetos. Isso ocorre porque as duas mãos podem executar a tarefa com facilidade.

No entanto, para a maioria das crianças, tarefas mais complexas requerem as propriedades especializadas de processamento do hemisfério esquerdo do cérebro.
As atividades que contribuem para o desenvolvimento de uma mão preferencial são aquelas que estimulam e auxiliam o amadurecimento das vias cerebrais em ambos os lados do cérebro. É importante destacar que muitas dessas atividades devem se concentrar mais nos movimentos e nas ações do corpo inteiro em vez de apenas nos das mãos.

Os movimentos que envolvem girar, rodar, cair, balançar e dançar estimulam os órgãos do equilíbrio no cérebro. Eles desempenham um papel importante ao dizer ao cérebro onde o corpo está no espaço e quais movimentos são necessários para a postura, a resposta aos estímulos e a ação.

Além disso, as crianças precisam de um bom equilíbrio e uma coordenação adequada para um amadurecimento cerebral saudável e o bom desenvolvimento da destreza.

Porém, tenha cuidado para não exagerar nesse tipo de atividade. A obtenção de habilidades específicas varia muito nas crianças; por isso você deve respeitar as suas habilidades e reações.
Fonte: https://soumamae.com.br/como-a-lateralidade-se-desenvolve-nas-criancas/

Sem comentários

Deixe uma resposta