post

5 fatores que impactam o aprendizado

5 fatores que impactam o aprendizado

No texto “O que as notas baixas na escola estão nos contando – Rendimento escolar” começamos um diálogo sobre como a escola e família podem rever o conceito do rendimento escolar e redefinir caminhos para a educação. Se você chegou até aqui agora eu sugiro que tire alguns minutinhos para ler o texto anterior.

Agora vamos lá. Vamos falar de fatores que impactam a qualidade do aprendizado da criança (adolescente e adulto também!), a partir do nosso papo anterior você já entendeu porque mudamos de foco, e como encontrar apoio e suporte para que vocês consigam transitar tranquilamente por essa fase. Para tornar nosso papo mais simples ainda de ser aproveitado, listarei algumas das possibilidades de interferência mais comuns.

Interesse – O primeiro fator que impacta a sua capacidade de aprender e se concentrar é o interesse que você tem pelo que está sendo ensinado. Quando sua motivação para aprender algo é alta você aprenderá mesmo que encontre obstáculos no caminho. Com as crianças não é diferente. O professor(a) deve mobilizar a curiosidade, criatividade e engajamento dos alunos. Ele é o mais qualificado para isso e deve ter apoio concreto da escola para realizar seus projetos. Também é preciso que o professor tenha sensibilidade (logo mais teremos um workshop para educadores, fique ligado) para perceber as demandas emocionais e cognitivas de cada aluno. Por isso é tão importante que o professor não seja sobrecarregado com um número alto de alunos por turma.
Pertencimento: As pessoas querem se sentir parte do grupo e do aprendizado. Todos devem se sentir co-responsáveis pela produção de conhecimento na sala de aula, trazendo sua curiosidade e participando das pesquisas, ensaios e estudos cada um da sua forma. É preciso ressaltar que as diferentes personalidades participarão de forma diferente. O professor precisará impulsionar a saída da zona de conforto e ao mesmo tempo oferecer ambiente seguro. Normalmente os espaços educativos em que se constrói diálogo, experimentação e apropriação da produção de conhecimento pelo professor engajando os estudantes já trabalham nesse equilibrio. Também é preciso lembrar que a partir dos 10 anos de idade, aproximadamente, as crianças querem aprovação de seus pares e não mais de seus professores. É por isso que quando há problemas de convívio entre as crianças e adolescentes a equipe escolar não pode ignorar, o impacto no desenvolvimento e no aprendizado são altos. Falaremos sobre isso especificamente em convívio escolar e bullying, logo mais. Se você é educador ou responsável por uma criança e acha que ela tem vivido alguma situação de desconforto no convívio com colegas, mande mensagem ou e-mail e vamos encontrar soluções.
Adequação da metodologia: Nem todo mundo aprende da mesma forma. Algumas pessoas são muito visuais, outras muito táteis, outras são leitores vorazes e por aí vai. As metodologias variam na forma de abordagem dos processos de aprendizado. Normalmente cada instituição segue uma metodologia em específico, mas em geral nota-se que em escolas que engajam os alunos na produção de seu proprio conhecimento há espaço para adaptação. Lembrete importante: isolar uma criança ou separar atividades de crianças “adiantadas” e “atrasadas” é uma prática extremamente maléfica. Todos os estudantes devem ser envolvidos no aprendizado da mesma forma, recebendo mais suporte se preciso. Todos devem ser avaliados a partir do proprio desenvolvimento e não em comparação com outros.
Problemas de contexto social. Nós não somos receptáculos separados de outras vivências. Ninguém vai trabalhar com o mesmo desempenho se não está bem em suas questões pessoais. As corporações bem que tentaram o discurso “ser profissional”, mas fato é que nossa “produtividade” muda de acordo com nosso bem estar emocional. Com as crianças não é diferente. Por vezes nós adultos achamos que as crianças estão protegidas e não percebem o “problema financeiro” que estamos vivendo, ou nossa dor emocional, mas as crianças são ótimas para perceberem os “não ditos”. É preciso diálogo sempre sobre tudo que está acontecendo e a compreensão e suporte para criança lidar com seus sentimentos em resposta ao que estão vivendo.
Dificuldades emocionais – Crianças tem angustias. Se você já é frequentador do nosso espaço você já me ouviu dizer isso. Há muitos sofrimentos infantis (e de adolescentes) que não devem ser subestimados jamais! É preciso que a gente esteja atento, seja respeitoso e pratique o diálogo para entender como as crianças estão significando as experiências que estão. É preciso que a gente as eduque emocionalmente. Se você quiser saber mais sobre isso, dê uma olhada nessa live sobre o assunto.
Fonte: http://www.paisqueeducam.com.br/2018/05/22/5-fatores-que-impactam-o-aprendizado/

Sem comentários

Deixe uma resposta