post

5 brincadeiras das diferentes regiões do Brasil

5 brincadeiras das diferentes regiões do Brasil

Convide as crianças a se reunirem e se divertir ao ar livre com um repertório de todas as regiões do país. Vai ser enriquecedor!
Férias é momento de explorar o leque do brincar ao ar livre. Para ninguém ficar sem ideias na hora de se divertir com as crianças, convidamos duas especialistas no assunto para ensinar brincadeiras de norte a sul do Brasil, uma de cada região. Elas já viajaram para todos os pontos do país e, a partir dessas viagens, criaram projetos sobre o tema: Renata Meirelles é coordenadora do Território do Brincar e autora do livro Giramundo e Outros Brinquedos e Brincadeiras dos Meninos do Brasil (Editora Terceiro Nome); e Gabriela Romeu é uma das idealizadoras do Infâncias, e escreveu Terra de Cabinha (Editora Peirópolis).

Confira a lista de atividades sugeridas para seu filho fazer com os amigos e perceber a riqueza e a diversidade cultural da infância brasileira.
NORDESTE
Carrapixo
Brincadeira coletada na praia de Tatajuba, Camocim (CE), e sugerida por Renata Meirelles.

Você vai precisar de uma folha de coqueiro (pina, como no destaque da foto ao lado) ou outro tipo de palmeira com largura simétrica, que contenha uma haste ou nervura central e cerca de 40 cm de comprimento.

Faça um corte simétrico em uma das extremidades, deixando cerca de 2 cm de haste exposta. Amarre-a com linha de costura ou pesca, formando uma curvatura em “C”. A um terço de distância da ponta, faça dois furos nas laterais da haste. Passe o fio pelos buracos, prendendo-o no verso. Pronto, você tem um barquinho a vela para soltar na água.
SUDESTE
Wurst dreige
Brincadeira coletada em Santa Maria de Jetibá (ES) e proposta por Renata Meirelles. Lê-se “vust dréia” e significa máquina de linguiça para os pomeranos (povo originário da Pomerânia, antiga região que ocupava o norte da Alemanha e da Polônia).

Mínimo de cinco participantes.

As crianças formam fila e dão as mãos. A primeira se agarra a um ponto fixo, como uma árvore, grade, trave, cerca… A última, então, puxa a fila e passa entre a primeira e a segunda, por baixo dos braços delas, depois entre a segunda e a terceira e assim por diante, de modo que cada uma vai girando e cruzando os braços em frente ao corpo. Enquanto fazem isso, repetem “wurst dreige”. Quando todos estiverem “torcidos”, a última da fila tenta puxar e soltar cada participante, que tem de se manter na fila.
SUL
Mamãe, posso ir?
Brincadeira coletada em Jaguarão (RS), na fronteira com o Uruguai, e recomendada por Renata Meirelles.

Você vai precisar de ao menos quatro crianças.

As crianças ficam bem longe da que será mãe ou pai e, uma por vez, diz:
“Mamãe (ou papai), posso ir?”
“Pode”, responde.
“Quantos passos?”, pergunta o filho.
A criança que é a mãe ou pai diz o número de passos.
“De quê?”, pergunta o filho.
Ela ou ele responde se são passos de canguru (pulados), elefantinho ou elefantão (curto ou longo), formiguinha (bem curtinho) ou sapo (pulando igual a um sapo).
Depois, passa a vez para outra criança, e assim sucessivamente, até que uma chegue primeiro à mãe ou ao pai. Ela comandará a próxima rodada.
NORTE
Laranja madura
Brincadeira coletada em Rio Branco (AC) e indicada por Gabriela Romeu. Há variações na letra da cantiga pelo Brasil.

Precisa de no mínimo cinco crianças.

Os pequenos dão as mãos e rodam, enquanto entoam a canção abaixo (em vez de Pedrinho e Maria, dizem o nome dos participantes). A criança citada deve virar de costas, sem soltar as mãos, e continuar rodando. No final, todas estão com as costas para dentro da roda. Elas desviram ao mesmo tempo e recomeçam.
“Quanta laranja madura menino
De que cor são elas
Elas são verdes e amarelas
Se vira, Pedrinho
Da cor de canela
Se vira, Maria
Da cor de canela”

CENTRO-OESTE
Pato, pato, ganso
Brincadeira coletada em Campo Grande (MS) e indicada por Gabriela Romeu.

Precisa de, pelo menos, cinco crianças.

As crianças decidem quem vai ser o ganso – pode ser no joquempô, num sorteio ou como preferirem. Então, fazem uma roda e sentam. O ganso anda por trás tocando a cabeça de cada criança enquanto repete: “Pato, pato, pato… ganso”. Aquela que for tocada enquanto ele disse “ganso” deve se levantar e correr atrás dele – o ganso, por sua vez, deve se sentar no lugar vago, depois de dar uma volta. Se ela o pegar antes disso, o ganso escolhe outra criança. Se o ganso se sentar, ela é que vira o próximo ganso e passa a fazer a roda dizendo “Pato, pato, pato… ganso”. Quem for pego duas vezes vai para o meio da roda e fica lá até acabar – nesse momento, as crianças podem cantar a música “Galinha choca. Quebrou o ovo. E saiu minhoca!”.

Sem comentários

Deixe uma resposta