post

10 dicas para brincar com segurança em parquinhos

10 dicas para brincar com segurança em parquinhos

Que criança não ama um parquinho? Mas, para que nenhum perigo estrague o fim de semana e a alegria de vocês, é preciso ter alguns cuidados. Confira
1) Converse
Seja qual for a idade da criança, fale sobre os riscos, como correr na frente ou atrás do balanço. Isso ajuda a prevenir acidentes.

2) Respeite a faixa etária indicada
Procure pela placa que indica a faixa etária permitida. Caso não a encontre, veja se há crianças de idades muito diferentes, pois cada uma tem um ritmo.

3) Observe o tipo de piso do lugar
O ideal é que o chão seja coberto de materiais que amorteçam quedas de até 3 metros, como borracha, cascas de madeira, cascalho fino ou areia.

4) Prefira roupas confortáveis e adequadas
Cachecol, capuz e correntinha no pescoço devem ser retirados, pois podem enganchar em algum brinquedo e sufocar a criança.

5) Preste atenção à qualidade dos brinquedos
Ao comprar itens para um playground em casa, escolha os que têm selo do Inmetro.

6) Balanço
Para crianças de até 3 anos, o ideal é que o assento tenha encosto e proteção de segurança na frente. Nunca deixe uma criança, de qualquer idade, empurrar outra no balanço. e o melhor é que nenhuma possa correr por ali, especialmente na parte de trás.

7) Escorregador
Verifique o estado dos brinquedos, que não podem estar quebrados, descascados ou ter pregos aparentes. Os de ferro não devem estar enferrujados ou corroídos – cheque também se a prancha de metal não está quente. Nos de madeira, observe se soltam farpas. Em todos, a escada precisa de corrimão e a criança não deve subir pela prancha. Mas, como elas gostam (e é saudável essa exploração), fique por perto.
8) Gira-gira
O gira-gira mais seguro é aquele em que as crianças ficam em pé, mais comum fora do Brasil. Por aqui, o modelo todo vazado, em que elas ficam sentadas, requer atenção do adulto para que não haja quedas para a frente nem para trás.

9) Escada horizontal
Por exigir muita força e normalmente ser alta, é aconselhável apenas para crianças a partir de 6 anos – e, ainda assim, com supervisão. verifique se as barras estão bem fixas. Aliás, esse conselho vale para todos os brinquedos do parquinho. A criança deve estar acompanhada de um adulto sempre, e quanto mais nova ela for, mais perto o responsável deve ficar. Isso evita que ela se machuque ou, pelo menos, possibilita que seja socorrida rapidamente.

10) Gangorra
O tamanho e a altura do equipamento devem ser compatíveis com o tamanho do seu filho, assim como o colega que ficará do outro lado. Deve haver apoios firmes e antiderrapantes para as mãos. Esteja por perto e fique atento Às quinas! Aliás, o parquinho ideal não tem quinas. no entanto, como na realidade as coisas não são bem assim, vale ter atenção.

Fontes: Alessandra Françoia, Conselheira de Prevenção de Lesões na ONG Criança Segura, da Nova Zelândia; Ana Maria Escobar, pediatra e colunista da CRESCER; Melina Blanco Amarins, psicóloga e psicopedagoga do Hospital Israelita Albert Einstein (SP); Playgrounds – Requisitos de Segurança, da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).

Sem comentários

Deixe uma resposta